sábado, 11 de abril de 2015

POR QUE TODA UNANIMIDADE É BURRA?

(O pagode na berlinda)

Por: Claudio Fernando Ramos, 11/04/2015. Cacau “:¬)


Lembro-me, não faz tanto tempo assim, quando do meio de uma roda de “samba”, ou quase isso, de repente, sem ter porque, nem para quê, alguém saia com o tal do Pimpolho, Dança da Vassoura e por aí vai (a famigerada lista é imensa, cansativa e inócua, por isso dois desses casos já são suficientes); como os sambistas ficavam chateados (confesso que sempre fiz parte desse seguimento que se chateava). Hoje sou obrigado a admitir: bons tempos aqueles! Peço que me desculpem pela  corrosiva ironia, mas não vejo outra maneira de externar toda a minha frustração musical nesse país tão comezinho. Antes o que me deixava frustrado era ver e ouvir pseudos sambistas só tocando as infindáveis choradeiras do pagode, para conformar/confortar a maioria dos sofríveis corações femininos; hoje, por ruim que fossem, e eram, tornaram-se  mais que necessários. Inacreditável, mas é a mais pura verdade! Ainda não entendeu o que quero dizer? Serei mais claro! Ontem ia-se ao samba e só se ouvia pagode; hoje fique muito feliz se fores ao pagode e conseguires ouvir, não se espante, o lamentoso pagode! Isso mesmo, pagode; mais uma vez só para firmar: pagode;  uma última vez para não se equivocar: pagode! Insistem em chamar pagode de samba, e, o que é pior, nunca gostaram de tocar samba e agora começam a fazer o mesmo com o choroso pagode. O mais trágico não reside só nessas irracionais “músicas”que se ouve país à dentro, mas na unanimidade de gostos que se formaram em torno delas. Os industriais da cultura, uns dos segmentos responsáveis pela sistemática desumanização das massas, dizem que o Brasil é sertanejo/caipira. Deve ser por conta disso que ao invés de um país de cidadãos, pessoas que possuem e sabem cultivar a autonomia e que por isso, sabem fazer suas próprias escolhas; temos uma nação de Jecas, seres patéticos que não sabem como, o quê, nem o porquê daquilo que pensam ter escolhido. Agora eu sei, saudoso Nelson Rodrigues, o porquê de toda unanimidade ser muitíssima burra! Cacau “:¬)     

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

EDJA ALVES, O SOM DA REMINISCÊNCIA

https://www.youtube.com/watch?v=3v3K_28q6Bg

Por: Claudio Fernando Ramos, 20/02/2015. Cacau “:¬)


 Sou carioca! Gosto disso!
Mas tenho o privilégio de, mesmo sem nenhum grau de parentesco, viver na Região Nordeste.
Refletindo sobre a minha história pessoal, sou, sem nenhuma sombra de dúvida, muito mais devedor a essa região do país do que a qualquer outra.
O charme de Fortaleza, a identidade de João Pessoa, as piscinas naturais de Maceió, os belos mangues de Aracaju, a alegria de Salvador, a cultura do Recife, a brisa benfazeja de Natal e muito mais... São particularidades que se fazem sentir, o tempo todo, em vários momentos desses arrabaldes.
Edja Alves, interprete e uma das donas do Cabanas Bar (ZN de Natal), consegue, sem muitos esforços, suscitar essas e outras boas lembranças que trago guardadas em mim; memórias de minhas longas andanças (duas décadas e meia) pelas terras de Lampião, Luís Gonzaga e Jackson do Pandeiro, Ariano Suassuna, Jorge Amado, José de Alencar, Graciliano Ramos, Manoel Bandeira...   
Sotaques, sabores, ritmos, beleza natural e calor humano nordestino... São nessas coisas que penso, quando ouço Edja Alves cantar! Cacau “:¬)


sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Samba Sobre as Dunas 7 (Amarelinho)

Por: Claudio Fernando Ramos 16/01/2015. Cacau “:¬)


O Amarelinho fica no centro da cidade, próximo ao Tribunal Regional Eleitoral (TER). É um bar quase de esquina, que conta com uma boa localização (na nossa modesta opinião, tudo o que é central é melhor, pois pensamos em quem não possui transporte particular), mas o mesmo já não pode ser dito sobre os outros quesitos. Todavia, os seus administradores tiveram a feliz idéia de firmar contrato com os talentosos, animados, agradáveis rapazes do Quinto Preceito. Eles conseguem dar ao local o espírito que lhe falta! Todas as quintas eles estão por lá fazendo samba de altíssima qualidade (isso eu digo sem medo de ser feliz), a partir das 20:30hs. Se você for, não irá se arrepender! Cacau “:¬)

* Avaliação Numérica:
- Espaço (Localização, Instalações e Climatização): 8.0
- Serviços (Atendimento, Forma de Pagamento e Marcas de Cervejas): 7.0
- Banheiros (Privacidade, Espaço e Higiene): 5.0
- Preços Coerentes (Entrada, Couvert, Taxas e Consumo): 8.0
- Segurança (Proteção Estrutural Contra Intempérie e Pessoal): 1.0
- Samba (Qualidade da Banda e do Repertório): 10.0
- Público (Postura dos Frequentadores): 8.0

Média: 6.7


* Essa avaliação só leva em consideração o que em nossa particularidade vivenciamos. Obviamente que essa avaliação, por conta do seu alto grau de subjetividade, deve contar com a discordância ou com a concordância (total ou em parcial) de quem ler! Cacau “:¬) 

Samba Sobre as Dunas 6 (Petiscaria: Oba Oba)

Por: Claudio Fernando Ramos 16/01/2015. Cacau “:¬)


O Oba Oba fica na Av. Itapetinga não muito longe do Centro Cultural da Zona Norte (antigo presídio). Como o espaço é por demais recente, nós, apesar de termos ido lá e curtido um samba com a rapaziada, não temos condições de formular um juízo mais completo que lhe auxilie! Porém é sabido que as sextas e aos sábados, rola música ao vivo (não sabemos informar sobre o ritmo) a partir das 20:00hs. Apareça e tire as suas próprias conclusões! A dona do estabelecimento é super gente boa! Cacau “:¬)

* Avaliação Numérica:
- Nota para o único dia em que fomos (tudo foi improvisado): 7.5

* Essa avaliação só leva em consideração o que em nossa particularidade vivenciamos. Obviamente que essa avaliação, por conta do seu alto grau de subjetividade, deve contar com a discordância ou com a concordância (total ou em parcial) de quem ler! Cacau “:¬)


Samba Sobre as Dunas 5 (Bardallos)

Por: Claudio Fernando Ramos 16/01/2015. Cacau “:¬)



Não estamos cientes da programação. Porém, estamos cientes que coisas boas rolam por lá, mas não temos notícias de samba com regularidade. O Bardallos fica no centro de Natal, bem próximo ao reduto boêmio chamado Beco da Lama. Na última vez que por lá aportamos, gostamos muito do vimos e ouvimos! Bom Malando, Arquivo Vivo e Analuh Soares não deixaram a peteca cair. 
Nossa avaliação tem relação com esse dia e com as palestras (no passado) que fizemos sobre o tema: biografia/discografia de alguns sambistas (projeto: Papo de samba). 



* Avaliação Numérica:
- Espaço (Localização, Instalações e Climatização): 9.7
- Serviços (Atendimento, Forma de Pagamento e Marcas de Cervejas): 9.7
- Banheiros (Privacidade, Espaço e Higiene): 9.9
- Preços Coerentes (Entrada, Couvert, Taxas e Consumo): 10.0
- Segurança (Proteção Estrutural Contra Intempérie e Pessoal): 9.7
- Samba (Qualidade da Banda e do Repertório): 10.0
- Público (Postura dos Frequentadores): 10.0

Média: 9.8

* Essa avaliação só leva em consideração o que em nossa particularidade vivenciamos. Obviamente que essa avaliação, por conta do seu alto grau de subjetividade, deve contar com a discordância ou com a concordância (total ou em parcial) de quem ler! Cacau “:¬)



Samba Sobre as Dunas 4 (Espeteco)

Por: Claudio Fernando Ramos 16/01/2015. Cacau “:¬)



Nas noites dos finais de semanas e nas noites das segundas, a partir das 20:00hs., rola samba de primeira no Espeteco (Bar e Petiscaria) que fica no interior do CCAB Sul (próximo ao Shopping Cidade Jardim). O espaço em si (com outros nomes) já esteve sobre outra direção, e, algumas vezes também ofertou entretenimento musical; porém, dessa vez algo interessante ocorre: a nova administradora ama o samba. O que implica dizer que o samba é o ritmo da vez! Como não fomos lá mais de uma vez, na atual gestão, não podemos afirmar que todos os grupos que por lá aportam, tocam somente o velho e bom samba. Sabemos que os apelos midiáticos pelas “músicas” de massa são, para muitos (vários grupos), impossíveis de serem vencidos! Mas, quando lá fomos, o grande Junior Bubu só mandou samba! Pagasse couvert e taxa de serviço. A direção é acessível e aberta à opiniões. Vá você certamente vai gostar! Cacau “:¬)  

* Avaliação Numérica:
- Espaço (Localização, Instalações e Climatização): 9.0
- Serviços (Atendimento, Forma de Pagamento e Marcas de Cervejas): 9.3
- Banheiros (Privacidade, Espaço e Higiene): 9.0
- Preços Coerentes (Entrada, Couvert, Taxas e Consumo): 9.0
- Segurança (Proteção Estrutural Contra Intempérie e Pessoal): 7.9
- Samba (Qualidade da Banda e do Repertório): 10.0
- Público (Postura dos Frequentadores): 10.0

Média: 9.1

* Essa avaliação só serve como referência sobre o que vimos e achamos. Obviamente que, por conta do seu alto grau de subjetividade, você poderá concordar ou discordar, totalmente ou em parte!


Samba Sobre as Dunas 3 (Quintal do Toni)

Por: Claudio Fernando Ramos 16/01/2015. Cacau “:¬)


Aos domingos (quinzenalmente), a partir das 12:00hs., rola samba de primeira no Quintal do Toni (Ponta Negra). O espaço sofreu uma reforma e tornou-se adequado para shows e eventos de pequeno porte. Paga-se um valor de entrada que julgamos adequado por conta de dois fatores: saboreia-se uma feijoada (inclusa) e ouve-se o samba de raiz do Madureira e do "Rogerão" (com alguns convidados), nomes mais que qualificados quando o assunto é samba de raiz na cidade de Natal. Tony, Sandrinha e Bery são os anfitriões.



* Avaliação Numérica:
- Espaço (Localização, Instalações, climatização): 8.9
- Serviços (Atendimento, Forma de Pagamento e Marcas de Cervejas): 9.0
- Banheiros (Privacidade, Espaço e Higiene): 8.5
- Preços Coerentes (Entrada, Couvert, Taxas e Consumo): 9.0
- Segurança (Proteção Estrutural Contra Intempérie e Pessoal): 9.5
- Samba (Qualidade da Banda e do Repertório): 10.0
- Público (Postura dos Frequentadores): 10.0

Média: 9.2

* Essa avaliação só serve como referência sobre o que vimos e achamos. Obviamente que, por conta do seu alto grau de subjetividade, você poderá concordar ou discordar, totalmente ou em parte!



Samba Sobre as Dunas 2 (Bar do Carrilho)

Por: Claudio Fernando Ramos 16/01/2015. Cacau “:¬)



As segundas, a partir das 16:00hs., rola samba no Bar do Carrilho. O bar fica no interior do Mercado da Redinha (praia da Zn de Natal). Não pagasse couvert nem taxa de serviço. Cerveja gelada com preço adequado! Os pontos fortes do samba que lá rola nas segundas são três: alegria e improviso dos participantes (músicos e frequentadores: todos podem participar, tocando ou cantando) e a confiança que o proprietário (Carrilho) deposita em seus clientes e amigos.



* Avaliação Numérica:
Infelizmente não é possível fazer esse tipo de avaliação. O bar, por estar instalado no interior do mercado, assim como vários outros, depende exclusivamente da infraestrutura do mesmo; e, como já é do conhecimento da maioria, a praia da Redinha assim como o seu Mercado Público, há muito não goza das benesses do Município de Natal. Por isso os quesitos: higiene, banheiros e segurança são precários. Mas, mesmo assim, vale apena ir lá conferir. Cacau “:¬)

 Minha nota Pessoal é 7.5

* Essa avaliação só serve como referência sobre o que vimos e achamos. Obviamente que, por conta do seu alto grau de subjetividade, você poderá concordar ou discordar, totalmente ou em parte!


Samba Sobre as Dunas 1 (CABANAS BAR)

Por: Claudio Fernando Ramos 16/01/2015. Cacau “:¬)



Aos domingos, a partir das 15:00hs., rola samba de primeira no Cabanas. Esse espaço é bem adequado para shows e eventos de pequeno porte. Pagasse couvert de valor adequado e taxa de serviço; os garçons atendem bem e os banheiros são aceitáveis. Nas duas vezes em que lá fomos só rolou samba, o que é ótimo, e as bandas (grupos) estavam à altura do desafio.




* Avaliação Numérica:

- Espaço (Localização, Instalações e Climatização): 8.9
- Serviços (Atendimento, Forma de Pagamento e Marcas de Cervejas): 9.0
- Banheiros (Privacidade, Espaço e Higiene): 8.5
- Preços Coerentes (Couvert, Taxas e Consumo): 9.5
- Segurança (Proteção Estrutural Contra Intempérie e Pessoal): 8.5
- Samba (Qualidade da Banda e do Repertório): 10.0
- Público (Postura dos Frequentadores): 10.0

Média: 9.2


* Essa avaliação só serve como referência sobre o que vimos e achamos. Obviamente que, por conta do seu alto grau de subjetividade, você poderá concordar ou discordar, totalmente ou em parte! 

sábado, 9 de agosto de 2014

Lorival Madeira no Bar do Caju



Por: Claudio Fernando Ramos, 09/08/2014. Cacau “:¬)

 Não gosto muito de publicar eventos em meu perfil (me refiro ao Face Book), as razões são das mais diversas: anunciam uma coisa e fazem outra (falam de samba e tocam o que o povo pedir, aí você já sabe no que dá); quando começam pedem seu apoio, depois que a coisa engrena te desconhecem; cobram valores de cerveja de qualidade, mas comercializam as mais baratas; apresentam bandas meia boca (os vícios e desejos em primeiro lugar, a qualidade e o compromisso profissional em segundo plano) mas cobram preço de estrelas...
Amigos no samba de improviso das segundas, tendo Lorival Madeira ao meu lado esquerdo. Cacau

Bom, polêmicas à parte, dessa vez gostaria de contribuir, voluntariamente, com o evento do dia 17/08 no Bar do Caju (Redinha). Meu amigo (grande músico e intelectual) Lorival Madeira estará lançando seu livro (Banzo - a saga de uma etnia) e fazendo samba da melhor qualidade. É bem verdade que por conta dos vários convivas com quem o show contará, é mui provável que também se ouça pagodes. Mas tudo bem, não sendo mais que isso, estará bonito! Peço (ao pessoal da organização) que separem a minha mesa, já separei a grana, e convido você para dar o apoio que lhe for possível oferecer. O Bar do Caju é dirigido por uma família de pessoa simples e amiga, de lá sai excelentes caldos e boas prosas (conversas), todas as segundas, por volta das 19:00hs. costuma rolar samba de improviso com entrada franca. Te espero lá! Cacau ":¬)

segunda-feira, 21 de julho de 2014

SAMBA NÃO É MODISMO, É ESTILO DE VIDA!




Por: Claudio Fernando Ramos, 21/07/2014. Cacau “:¬)

Já faz algum tempo que nada escrevo sobre o samba em Natal. Essa é uma escolha quase que compulsória; formar opinião em nosso país, longe de esclarecer alguma coisa, acaba por causar conflitos. Nosso povo não foi educado para ser autárquico e autônomo; ao contrário, qualquer tipo de discussão é rapidamente conduzida para o escopo do pessoal. Porém, mesmo que seja a contra gosto, principalmente dos desafetos, tenho que voltar à tona com minhas observações sobre o samba em Natal.
Confesso não saber da origem de um novo modismo que tenho ouvido dos lábios das pessoas que curtem e tocam samba em Natal. A frase é um tanto quanto sucinta, mas “repleta” das tendências reducionistas, minimalistas e pragmáticas, próprias da cultura de massa que, segundo alguns sociólogos, possui como característica principal a alienação das pessoas. A essa altura você já deve está se questionando: mas que frase é essa afinal? “TUDO É SAMBA!” Essa é a frase! Simples, sucinta, politicamente correta; mas, acreditem, super mal intencionada!

Sociólogos afirmam que a cultura de massa é produzida por determinados profissionais que geralmente não pertencem às classes mais populares; é dirigida pela demanda, passando, necessariamente, pelos modismos circunstanciais; é feita para um público semiculto e passivo; visando somente o entretenimento como forma de passar o tempo.
Corroborando com o que dizem os sociólogos, vejo-me na obrigação de redigir esse ato de desagravo em favor do verdadeiro e bom samba. Ele, certamente, recebeu e promoveu influências várias, é fato! Mas isso não implica que o mesmo não possua uma cara, uma forma, uma definição, um ritmo, uma poesia!

Por isso discordamos veementemente dessa nova abominação, mutilação e descaracterização que querem imputar ao velho e bom samba. Só confundem o samba, ou se confundem com o samba, aqueles que usam desse estilo para interesses particulares! Nunca vi um verdadeiro sambista confundido, só encontro alguns músicos iludidos!

Os músicos que se intitulam sambistas nesta cidade deveriam assistir menos Esquenta, programa dominical da Rede Globo de Televisão, e ouvirem mais Cartola, Candeia, Jovelina, Ivone, Nelson Sargento, Martinho, J. Aragão, Leci... Esses, ao invés de modas, emanam poesias! Cacau “:¬)     

sábado, 8 de março de 2014

POLÊMICAS SOBRE O CARNAVAL 2014 (Réplica)



Por: Claudio Fernando Ramos 09/03/2014. Cacau “:¬)

                                Bons tempos que não voltam mais (formação original)

Olá (nome intencionalmente suprimido, mas presente no blog), não sei quem você é (não por nome), mas gostei de receber sua opinião pessoal sobre os meus comentários, no que se refere a apresentação do grupo Originais do Samba na cidade do Natal, no último carnaval. Eu autorizei a publicação de seu texto em meu blog (apesar de achar que você queria falar com outras pessoas além de mim). Fiz isso não por altruísmo, mas por princípio, ou seja, todos têm direitos a terem opiniões; inclusive você. Brasileiro opina sobre tudo, mas quase nunca o faz no fórum adequado. Com isso quero dizer que, só se fala pelas costas. Minhas ideias são claras e públicas! Chegou ao meu conhecimento, por meio de fofocas (o que abomino) o quanto algumas pessoas falaram mal de mim pelo fato de me permitir dizer o que penso sobre dois eventos no carnaval de Natal; mas, acredite, muitos também gostaram. Porém, não escrevo para que gostem ou não, só escrevo!
Bom, acho que mais uma vez não irei agradá-los, nem a você. Lendo o seu manifesto de desagravo, muito indignado, diga-se de passagem (acho que você ganha dinheiro com a música),  prestei atenção em algumas coisas. E acredito que algumas devem ser melhor esclarecidas.
Primeiro: o que você chama de discriminação, eu chamo de opinião. Isso, como já foi dito, todos possuem; inclusive você. Se a assim não fosse, não me teria escrito com tanta emoção. Hoje em dia é quase moda dizer: eu não tenho preconceito com nada. Mas isso é hipocrisia! É só ver a situação do negro, da mulher, dos nordestinos, dos gordos, dos pobres, do homossexual... Sobre música, tenho minhas preferências! E, há muito, estou consciente que isso incomoda!

Segundo: os caras vieram tocar na cidade custeados por verba pública, portanto não estavam fazendo caridade. E, até onde eu sei, tudo o que é público ou a ele está associado, está, direta ou indiretamente, sujeito à opiniões. Os caras pediram aplausos para o secretário e o prefeito da cidade. Era um show ou um comício? As mesmas personalidades estavam presente no show de Martinália. Não vi nada dessa subserviência por lá.
Terceiro: o nome da banda os identifica com o samba, a culpa não é minha se eles se rotulam de uma forma e cantam  outras coisas. Fico imaginando um show dos Cavalheiros do Forró tocando partido alto. Já que mudou a estrutura da banda e, isso é (segundo seu ponto de vista) suficiente para mudar o estilo da mesma, que tal mudar o nome da banda então? SAMBA E TUDO O QUE DER NA CABEÇA . Acho um bom nome! O que achas?

Bom, meu caro, nós dois sabemos que tudo o que escrevemos, nem de longe esgota esse assunto; por mim tudo bem. Vou continuar assim, como todas as outras pessoas (e você), tendo opiniões. Não devemos nos chatear com isso. Platão não dava valor algum às opiniões. São só escolhas!

Só uma coisa não ficou muito clara em seu texto de desagravo, você escreveu a seguinte proposição: “SAMBISTA DE VERDADE VIVE ONDE ENCONTRA-SE O BERÇO DO SAMBA”.  Fora o Brasil, existe outro berço do samba? Ou seria isso uma indireta, como aquela que estou acostumado a ouvir sobre ir embora para o meu Estado? Que no caso em questão é o Rio de Janeiro. Se for isso, o que eu não creio que seja, o meu estado é aqui: desde que nasci vivo no Estado Brasileiro. Abraços.
Ah! Já ia me esquecendo, não tecerei mais crítica sobre a forma de trabalhar dos caras, isso porque não irei ouvi-los por uma segunda vez! Não é nada pessoal, é só um ponto de vista. É certo que eles não perderão nada com isso. Não sou ninguém importante, só um homem negro, filho de sambista e que muito gosta de samba. Mas como você já deve saber, eu não ganho a vida com o samba (alguns acham que isso é uma desqualificação), talvez seja esse o meu problema. Mas acho que não! Conheço muito marqueteiros e oportunistas que se dizem empresários da música, batuqueiros que se dizem instrumentistas e percussionistas, copiadores e reprodutores que se denominam cantores... Assim sendo, eu também posso ser um pseudo "artista" que só fala, mas que nada cria! Abraços de novo. Cacau ":¬)